Docente do IFSC é indicado para prêmio científico
voltar
Ter, 09 de Maio de 2017 04:35

Instituto Nanocell

O Instituto Nanocell é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 2013, que tem por objetivo promover, através do desenvolvimento da pesquisa científica e cultural, o ensino e a educação.

Em 2017, o Instituto lançou a segunda edição do Prêmio Cientista e Empreendedor do Ano Instituto Nanocell, cujo objetivo é valorizar, incentivar e divulgar trabalhos de inovação em ciências, educação e saúde pública. Para a edição deste ano, o Instituto definiu seis áreas de ciências, sendo que para cada uma delas foram selecionados professores e alunos de todo Brasil para concorrer ao Prêmio em questão.

Luciano_da_Fontoura.jpgLuciano da Fontoura Costa, docente do Grupo de Computação Interdisciplinar do Instituto de Física de São Carlos (GCI- IFSC/USP) foi indicado, concorrendo na categoria "Biologia Sintética e Engenharia Genética". Sendo o único docente do campus da USP São Carlos a concorrer ao Prêmio, Luciano acredita que sua indicação seja em razão da abordagem multidisciplinar que desenvolve desde no início de sua carreira científica. "Acredito que um possível aspecto de destaque das pesquisas que realizo é que, desde o início, buscamos desenvolver trabalhos de qualidade que sejam multidisciplinares inovadores. Ao mesmo tempo procuramos unir teoria e aplicação, propondo conceitos e métodos novos à luz de aplicações possíveis, o que contribui para a criatividade nos trabalhos", complementa o docente.

Nesse sentido, Luciano destaca alguns de seus estudos, como os que utilizam o conceito de reconhecimento de padrões para estudar sistemas complexos. No contexto da biologia sintética, categoria para a qual Luciano foi indicado no Prêmio Nanocell, ele enfatiza trabalhos que vem desenvolvendo focados no aspecto "morfologia". "Temos muitos trabalhos que tentam quantificar e simular formas de neurônios, por exemplo, e entender como tais formas podem restringir ou facilitar certas dinâmicas nos sistemas neuronais. Essa é uma área de concentração em minhas pesquisas", afirma. "Por exemplo, sintetizamos células neuronais artificiais no computador para posteriormente uni-las formando sistemas matematicamente simulados, acrescentando então alguma dinâmica específica e observando o que o sistema é capaz de fazer".

No GCI, no qual é coordenador, Luciano trabalha com quatro frentes principais de pesquisa, que norteiam os seus trabalhos: análise de imagens, reconhecimento de padrões, redes complexas e eletrônica. "Essas áreas se relacionam muito e, em nossas pesquisas, muitas vezes aplicamos mais de uma delas ao mesmo tempo. Além disso, os conceitos e métodos dessas áreas podem ser usados em muitos problemas teóricos e aplicados, e nossas diversas abordagens multidisciplinares se originam justamente disso", explica. Em particular, Luciano enfatiza que reconhecimento de padrões, área relacionada ao seu doutorado, vem se destacando pelo seu potencial de aplicações em virtualmente qualquer área do conhecimento.

Como grande parte dos pesquisadores que trabalham com áreas distintas, Luciano "coleciona" diversas colaborações durante os anos, entre elas com pesquisadores de instituições brasileiras e internacionais, a exemplo da University of California (EUA), Harvard Medical School (EUA), University of Cambridge (Reino Unido), Universidade Federal da Bahia (BA), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal de Uberlândia (MG) e, obviamente, grupos de pesquisa da própria USP, como o Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC). "Temos hoje mais de 11000 citações (Scholar) e isso só é possível porque interagimos com diversos grupos de pesquisa e contamos com a colaboração de muitos outros pesquisadores e alunos", conclui Luciano.

A votação do II Prêmio Cientista e Empreendedor do Ano Instituto Nanocell, que já está em sua segunda etapa, será realizada até o dia 1º de junho. Para conhecer os indicados ao Prêmio e/ou votar, acesse http://www.nanocell.org.br/

Assessoria de Comunicação- IFSC/USP